segunda-feira, 3 de maio de 2010

Tô voltando . . .ou melhor: chegando =D


Mudando um pouco de assunto:
Tô trabalhando pra caramba, sabe . . . .
A escola aqui em Pira, no interior de São Paulo está estruturada. Depois de 3 anos de trampo forte e muitas surpresas. Formamos uma equipe incrível, as turmas estão se desenvolvendo de uma maneira que eu jamais havia previsto. Mesmo sendo uma pessoa que acredita muito, mas muito mesmo no planejamento e na força do método. Sem sarcasmo nenhum aqui, viu.
Quando falo do meu trabalho sou absolutamente precisa. Sem nenhuma malícia, nem "hahahas" fora de hora.
Quando vim para o interior de São Paulo meu objetivo existia, porém não havia o plano. Só não me preocupava em voltar para a capital. Me desliguei completamente de tudo o que me mantinha conectada a trabalhos anteriores. Em um dado momento - percebo agora - doeu. Sempre amei tudo o que fiz e me envolvo com o ambiente em que trabalho. Amo as pessoas, nos entrelaçamos, fazemos parte da vida umas das outras.
A recomendação é separar a Samya Ju e a Juliana Donzelli, mas essa separação nunca existiu - sempre houve a mulher dançarina. Seu nome pouco me importa. Ela existe em um só tempo, o agora. Respira, dança, se entrega e ama aqui no presente.
Talvez tenha sido doloroso para outros também.
Nem todos encaram com facilidade uma partida. E eu simplesmente parti. Não sem sofrer, nem sem amar muito.
A procura pelo meu trabalho continuou. Com muito respeito e carinho. Apesar de estar afastada de um grande centro de divulgação da dança há muitos anos, fazendo de tudo para me esconder - o público me "descobria" de novo.
Percebo agora, finalmente com maturidade, que não se trata de um retorno. Nem eu mesma me reconheço -por dentro e por fora. Nada restou da dançarina insegura que eu fui nessa época.
Do ser humano continua o mesmo coração, talvez um tanto mais sensível que antes. A frieza é um tipo de medo e o medo foi uma fraqueza minha.
Enfim, só percebi que morria de saudades de São Paulo quando entrava na marginal e sentia os músculos relaxando na nuca (tô no caminho de casa). Precisei assumir pra mim mesma isso. E demorou viu.
Obrigada por me receberem mais uma vez.
Me sinto em casa.

4 comentários:

  1. você é bem vinda em todos os lugares, porque tem um bom coração. E somos nós quem fazemos do lugar bom ou ruim. É isso aí Ju,segue em frente e brilhe muito!
    :)

    ResponderExcluir
  2. Seja bem vinda de volta, florzinha!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, meninas! Isso é muito importante pra mim, muito mesmo. (óia os zóio brilhando, putz - tô cheia de oxitocina galera)
    :-p

    ResponderExcluir
  4. Samyta!!!!!!!!!!! Que bom que está aqui em Sampa! Quero você ensinando eu hein!! Beijim

    ResponderExcluir