sábado, 1 de janeiro de 2011

Saudades (saudáveis) da dança

Espíritos rebeldes das dançarinas gitanas: uni-vos a mim em coro! 
Vocês de sangue quente, nascidas da migração dançante e apaixonada dos povos ibéricos. Pele clara, frágil como o cetim -  sob o sol intenso revela o dourado mais belo. Cabelos densos, indomáveis e olhos que refletem o verde cinzento das oliveiras.
Você ama o vento, a terra aquecida sob seus pés, o sol da tarde, o toque da percussão.
O ritmo persegue você com alegria: como cócegas agita seus pés, ombros e quadris; faz mover as pernas sem que você perceba. Até que alguém faz o alerta: "Cuidado! Não pode dançar!"
Acordo, estou trabalhando na loja do shopping- não devo dançar, nem mascar chiclete.
Embora Lady Gaga grite o que ela quiser nas caixas de som, eu - a "moça de preto" devo permanecer ,elegantemente, resistindo a todos os chamados e apelos desse parque de diversões montado para mim. Minha função é clara: minha prioridade é simples.
Aí você pensa: Que horror. Eu confesso, I'm loving it.



Um comentário:

  1. Ê branquinha... saudade de ler esses seus post criativos e loucos!
    Mas contenha-se: quando chegar em casa, vc tira a roupa preta, e caí na dança!

    ResponderExcluir